sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Último post de 2010

Último post de 2010, já que a próxima madrugada estarei em 2011. O dia não começou lá muito agradável devido a uma notícia triste. Mas que, de qualquer forma, serviu para valorizar um pouco a vida e aqueles que estão contigo nessa missão.

O dia também serviu para eu perceber que, realmente, as pessoas tem atitudes que nem que você pense muito, irá encontrar motivos para isso. Às vezes me importo demais com isso. Valorizo demais. Força do hábito de me importar com quem já se lixando para mim.

Mas, deixemos isto passar junto com 2010. Gostaria de usar este espaço para um longo agradecimento. Agradecer a todos que estiveram ao meu lado neste ano. Todos que adicionaram alguma coisa a minha vida. Agradecer a todo apoio em horas difíceis, a todos os momentos de risadas, passeios, bares, baladas. A tudo!

Isso inclui família, amigos, companheiros. 'Irmãos e irmãs' que ajudaram, com cada um seu pouco, a me tornar uma pessoa melhor, mais aperfeiçoada. Agradeço aos 'desafetos' também. A vida sem obstáculos e opositores seria monótona. É sempre bom termos desafios, algo que nos motive a viver cada vez mais.

Por fim, mas não menos importante, gostaria de agradecer aos leitores do blog. Os que lêem de vez em quando, diariamente, raramente. Os que comentam, os que não comentam. Saber que existem pessoas que se interessam por ler o que eu escrevo é um verdadeiro estímulo a continuar com este espaço.

Uma ótima virada de ano! Um feliz 2011! Com cada vez mais energias e boas lembranças! Acho que é isso aí! Abraços a todos!

"Rezo pelos nossos sonhos
 Agradeço tudo que passou
 Sigo na luta, luta por sonhos, sonhos
 Um dia vamos conseguir
 Senão vamos morrer tentando
 O que importa é viver feliz aqui
 Quando precisar da minha mão
 Estamos juntos, e tudo deve ser melhor"
(Aliados - Irmão De Fé)

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

O amanhã

Bom, o post de hoje será breve devido a dor de cabeça que me atinge nesse momento. Acho que é ela é fruto de ter sido acordado repentinamente junto com a rinite que me atacou por praticamente toda esta quarta-feira.

Eu era muito acostumado a ter medo de encarar as coisas. Qualquer tarefa eu colocava uma cerca de poréns e porquês que me impediam, por várias vezes, a seguir em frente. Era um mecanismo de defesa. Algo que minha mente criava para eu não ter que enfrentar o que tinha por vir.

Hoje, felizmente, isso está mais do que superado. Creio que perdi muitas oportunidades de ter grandes experiências por conta deste bloqueio. Fica o conforto de saber que isto não me acontece mais. Este ano foi de inúmeros ganhos pessoais, principalmente em relação a esses mecanismos que me atrasavam um pouco.

Desta vez, o amanhã pode vir, trazer o que for, eu já não fujo. Já não me escondo. Tento sempre estar preparado para o que acontecer e atento. Mas de peito aberto. Foi-se, há algum tempo, o dia em que fugi dos obstáculos.

"Whatever tomorrow brings I'll be there
 With open arms and open eyes, yeah
 Whatever tomorrow brings I'll be there
 I'll be there"
(Incubus - Drive)

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

O que me interessa

Ser positivo. Pensar positivo. Algo que muita gente tem dificuldade em fazer. Por vezes somos tão condicionados à descrença e ao conformismo que deixamos o pessimismo reinar sobre a nossa cabeça. Reflexos do mundo em que se vive hoje.

Mas, temos que lutar contra isso. O segredo é tentar tirar lições positivas de tudo que se passa na vida, e não se deixar abater pelas dificuldades. É saber virar o jogo e transformar as perdas em recompensa. Isso foi algo que aprendi este ano.

Não vou mentir, é bem difícil. Principalmente quando você tem uma ligação sentimental muito grande com o que se perde. Entretanto, digo que é possível. Vai tempo e esforço, mas é possível. Para isso, é necessário você ter uma estrutura que te favoreça.

Saber absorver situações nem sempre boas é um exercício. Se você estiver rodeado daquilo que interessa, de verdade, fica mais fácil. Cerque-se de gente que você gosta, amigos, família. Promova a alegria, a paz, os risos. Emane o bem para que possa também recebê-lo.

Por isso eu digo, atualmente, eu só quero o que me interessa. Aquilo que vá me trazer más lembranças, a vida alheia, não quero saber. Lógico, o passado não está para sempre esquecido, mas não há porque ficar pensando nele agora.

"Quando eu olhar pro lado
 Eu quero estar cercado
 Só de quem me interessa"
(Lenine - É O Que Me Interessa)

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Não pode parar

Estar feliz! Que bom sentimento! Algo maravilhoso de se sentir! Quisera todas as noites, mesmo sendo em plena segunda-feira, me sentir assim. Companhias ótimas! Sorriso garantido! Final de noite muito mais que tranquilo. Graças a Deus.

Tudo faz parte de uma boa e longa onda que navega pelo mar que eu atravesso. Um lugar onde não estou acostumado a estar, mas é que muito bom de se ficar. Calmaria nunca foi muito a minha, mas vamos aproveitar o momento.

Enquanto não quebra outra ressaca nesse mar misterioso que é a vida, eu aproveito. Poucas ondas, grande paz e calmaria. Não é por muito tempo, eu sei, mas, aproveito enquanto dá para fazê-lo. Essa onda não pode parar, espero.

"The world I love
 The trains I hope
 To be part of
 The wave can't stop"
(Red Hot Chili Peppers - Can't Stop)



segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Mudança de fase

Chegamos na última semana do ano. Após um tempinho de ócio, onde se tem preguiça de tudo e não se quer fazer nada, está na hora de ligar novamente os motores. Chegou a hora de deixar a calma e tranquilidade excessivas para trás.

Tempo de se movimentar, de mudar de fase. Depois de um descanso, agora tem que correr atrás da vida. Tirar ânimo de todos os lados e partir pra luta, mais uma vez. Então, chega de ficar parado. É aquecer pra não sofrer nenhuma lesão nessa corrida maluca.

Com um novo ano chegando, novos planos, novas metas e, consequentemente, novos obstáculos. Precaução sim, um passo de cada vez, mas marasmo não. Sem desespero, mas com pressa. Chegou o momento de botar pra funcionar o que foi planejado na semana ociosa.

"Não espere
 Eu tenho que partir
 Tenho pressa
 Cansei de não agir"
(Moptop - Uma Chance)

domingo, 26 de dezembro de 2010

Preencher

Sinto que agora preciso preencher um espaço há muito tempo vazio. Acho que consegui correr atrás de algum tempo 'perdido'. Tirei a onda que tinha que tirar, dei risada, tive meus porres, saí bastante. Vivi uma vida com a qual eu pensava estar desacostumado.

Bom, depois de um longo hiato, talvez seja a hora de se apaixonar novamente. Talvez seja o momento de sentir amor por outra pessoa. Talvez seja a hora de deixar essa vida de loucuras e causarias à toa. Apenas não tenho certeza. Talvez.

É uma situação deveras confusa. É como diz a frase: 'eu estou muito bem sozinho, mas às vezes sinto falta de ter alguém'. Já me dei um ano de férias deste tipo de sentimento. Pode ser a hora de deixá-lo preencher um espaço que, há meses, está vazio. Talvez. O que tiver que ser, será.

"We need to feel breathless with love
 And not collapse under its weight
 I'm gasping for the air to fill
 My lungs with everything I've lost"
(Snow Patrol - It's Beginning To Get To Me)
 
 

sábado, 25 de dezembro de 2010

Natal

Bom, hoje meu post será mais do que breve. Desejo a TODOS que irão ler este post um maravilhoso natal! Que esta data seja recheada de presentes, mas que seja lembrada pelo verdadeiro propósito. Da chegada de Jesus Cristo.

Tempo de se perdoar o que aconteceu no passado. Tempo de planejar novos planos. Tempo de viver. Em sua plenitude. Deixar o que passou para trás. Aceitar. Seguir o caminho. Parece não ser o certo, mas é aquilo que está desanhado para nós. A música num tem nada haver com o natal, mas como ouvi muito ela hoje, vai ser esta a postada.

"Hey, soul sister
 Ain't that Mr. Mister on the radio stereo
 The way you move ain't fair, you know
 Hey, soul sister
 I don't wanna miss a single thing you do
 Tonight"
(Train - Hey, Soul Sister)

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Órfão

Sei que tinha dito que evitaria falar sobre política nesse espaço. Também sei que, provavelmente, serei criticado pelo que vou escrever. Mas, espero que os leitores compreendam o texto de forma apartidária e sem preconceitos.

Hoje fui tomado por um momento de tristeza. Às oito e meia da noite, aproximadamente, terminara o último pronunciamento do presidente Lula à nação. Foram cerca de onze minutos que passaram voando. Um discurso que mexeu um pouco comigo e com outras pessoas em casa.

Quando acabou, senti um vazio. Uma sensação de que o País perdia, no dia de hoje, o maior símbolo que teve em décadas. O Brasil novamente encontra-se sem um pai. Sem um ícone perante a população e o mundo.

Por mais que eu queira acreditar que a próxima presidenta dará continuidade a todo o ciclo de oito anos passados, não é a mesma coisa. Ela, diferentemente do 'filho do Brasil', não tem carisma algum, não é do povo. Passa uma imagem dura, inflexível. Creio que não conseguirá fazer o mesmo que Lula.

Espero que eu esteja errado. Espero que o País continue com uma grande força política e social no comando. Ao presidente, deixo um até breve. Com a certeza de que, não só eu, mas muitos irão sentir a sua falta. Obrigado, Lula. Filho do Brasil e pai de milhões de brasileiros e brasileiras.

"Perguntar porque?
 Eu não vou fazer
 Perdemos você
 Mas nós temos que aceitar"
(O Rappa - Respeito Pela Mais Bela)

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Tomara

Tomara. Tomara que o ano que vem seja tão bom quanto esse. Que tudo siga na mais perfeita ordem e que flua de forma quase perfeita, uma vez que a perfeição não existe. O que for desejado que se realize. O que não puder que seja superado.

Tomara que a boa onda de energia continue. Que a paz continue reinando sobre a cabeça. As decisões ocorrerão no tempo certo, sem precipitação. Os caminhos por onde eu andar estejam cercados de alegria e bons pensamentos.

Tomara que a harmonia seja grande. Viver 2011 cultivando o amor. Coisas boas. Sem brigas, sem discussões, sem rompimentos. Que esse sentimento seja a semente das melhores lembranças. Que tudo volte em dobro. Tomara, seja sempre assim, tomara.

"Tomara, seja sempre assim, tomara
 Ttempos viverão em nós
 Pura energia, paz e alegria
 Harmonia em nossa alma"
(Geraldo Azevedo - Semente E Fruto)

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Decidir

Ter que decidir algo sempre irá implicar em uma escolha. Por muitas vezes, esse tipo de situação trava qualquer ser humano. Ninguém gosta de preterir algo. Às vezes chegamos a um ponto tão grande de egoísmo que queremos todas as opções para nós.

Como eu tenho o costume de dizer, não se pode ter o melhor de dois mundos. Não se pode ter tudo. Cada escolha uma recusa. O jeito para se decidir, numa hora dessas, nem sempre é visível, apesar de simples. A solução é algo muito básico. Escolha o que é melhor pra si.

Se necessita escolher algo tem que visar aquilo que te faz bem. Apoio sempre seguir aquilo te deixa feliz, que te satisfaz. Só não aconselho isso quando tal situação envolve prejudicar alguém propositalmente para isso.

Deixe para tomar decisões quando a maturidade para isso for alcançada. Há várias coisas em que não se pode voltar atrás. Se você não decidir com sabedoria e consciência, não diga nada. Espere um pouco antes de ser tomado por impulsividade.

Entretanto, se já se sente bem com isso. Vá em frente, siga. Corra atrás daquilo que se deseja. Tome decisões e chegue ao resultado. Faça isso com retidão de caráter. Não atropele nada e nem ninguém para chegar ao fim.

"Talvez eu já nem lembre mais das coisas como eram
  Mas, talvez agora saiba bem o que é bom pra mim"
(Charlie Brown Jr.  - O Penetra)

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Tempos de ócio

É engraçado, mas sempre ao final do ano ocorre o tempo de ócio. Pelo menos, para mim. Bate aquela lerdeza, preguiça, falta de vontade de fazer as coisas. Dias em que a cama passa a ser a mais desejada companheira de toda vida.

Talvez isso ocorra devido a proximidade das festas. Feriados muito próximos, dias em que não há com o que se preocupar. Apenas aproveitar o tempo. Pode ser também devido a temperatura. O calor intenso dos últimos dias deixa qualquer um sem ânimo pra muita coisa.

Podem existir infinitas explicações, o fato é que praticamente em todo fim de ano isso me ocorre. São as duas semanas mais preguiçosas entre todas que tem o ano. Apesar de estar 'tudo zen, tudo bem, meu bem', eu quero que passe logo. Porque eu mesmo não suporto estar assim. Mas que só passe o ócio, a alegria dos últimos tempos tem que continuar.

"Deixe-se acreditar
 Nada vai te acontecer
 Tudo pode ser
 Nada vai acontecer, não tema
 Esse é o reino da alegria"
(Mombojó - Deixe-se Acreditar)

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Exausto

Fim de semana muito bom. Proveitoso ao extremo. Tanto ao extremo que agora o corpo já pede arrego. Uma pequena maratona de eventos, festas e diversão. Depois de tanto esforço, fica até difícil raciocinar para escrever tudo.

Tudo começou na sexta-feira, com Moby, grupo animado, música sertaneja. Continuou no sábado com festa na casa de amigos, cerveja, conversas sobre todo tipo, pôquer, viola e risos até às 7 horas da manhã do domingo, praticamente. Finaliza com um domingo em que teve jogo de futsal às 8 horas, assistir o final de ensaio de banda de amigos no fim da tarde e o retorno a casa dos amigos para acabar com a bebida que ainda restou da outra noite.

Por mais que eu goste desta agitação, uma hora a mente cansa e o corpo padece. Ainda mais quando entre a manhã de sexta e agora foram aproximadamente 11 horas de sono. Onze horas de descanso para suportar três dias movimentados é bem complicado. É chegada a hora de repousar. Mas, mesmo cansado, se todo fim de semana fosse assim, estaria bom demais.

"Salve a paz, salve o amor
 E as coisas boas da vida"
(Aliados - Salve A Paz)

domingo, 19 de dezembro de 2010

Curtindo a vida adoidado

Sabe quando tudo parece estar na mais perfeita ordem? Quando você até acha estranho que tudo esteja fluindo de maneira tão boa e natural? É este o momento. O momento de curtir a vida, adoidado, pirado, alucinante e consciente.

Viver uma fase como essa é sem igual. Tudo bem, tudo indo de maneira como eu queria. Não há quase nada que eu iria querer mais na vida! Quase nada porque ainda falta um emprego 100%, uma namorada pra vida toda, mas, isso vem com o tempo.

Agora é a hora de aproveitar a vida. Cada vez mais. Vamos viver o hoje e deixar o amanhã, para amanhã mesmo. Estou numa posição, pela primeira vez, privilegiada. Resumindo, feliz demais! A cada diz mais!

"Bem ou mal
 Estamos aí
 Não há heróis
 Não há vilões"
(Max de Castro - Silêncio no Brooklin)

sábado, 18 de dezembro de 2010

Felicidade expressa

Noite muito boa! Noite de surpresas! Primeiro surpresa em relação a família e depois em relação a amizades antigas. Mas foram surpresas muito boas. Algo que alegrou minha noite. Muita curtição, zoeira, algo sem igual nesse mundo.

Pude rever amizades que estavam distantes, retomar contatos, curtir. A noite só teve aspectos positivos. Mesmo que eu tente pensar em algo negativo, é difícil lembrar. Logo há outra dúzia de bons pensamentos e recordações para preencher o espaço.

Curti muito o dia de hoje. Não só por meu primo retornando a minha pacata cidade, como amigos antigos saindo, rindo e se divertindo. Algo que eu não via há muito tempo. Noite boa demais, em todos os sentidos.

Peço para que, cordialmente, quem tirou fotos do dia de hoje (18/12), por favor, me repasse! Ou, pelo menos, mostre um link para eu copiá-las! Muito grato!

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Voltando a boa fase

Um post futebolístico hoje. Futebolístico, mas pessoal. Depois de uma série de lesões, entorses, pequenos estiramentos, dores, consegui retomar boas atuações no 'velho' futebol society. Ainda não dá pra dizer que foi igual há quatro anos, mas deu pro gasto.

Outra coisa que me ajudou foi retornar ao gol, já que as últimas lesões me fizeram ficar em casa muito tempo, sem academia, e o condicionamento físico ainda não é o ideal para voltar a correr por uma hora e quinze minutos.

Voltei a colecionar boas defesas, o time voltou a vencer após três jogos perdendo. Tudo se encaminhando bem, pelo menos em campo. Voltei pra casa cheio de ânimo por ter jogado bem e por ter escutado do resto do time que querem que eu fique no gol ao invés do outro goleiro, que só retorna mês que vem.

Fui até chamado de Casillas. Não jogo 10% do que ele joga, mas ser o mínimo comparado para mim já está bom demais.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Busca errada

Qualquer um já enfrentou uma situação muito complicada em alguma parte da vida. Com certeza, também já se lembrou dela, em diversos momentos, e se perguntou onde estão os erros, o que foi feito que poderia ter sido diferente. Afinal, por que as coisas aconteceram desta forma?

Já tive esse questionamento diário, por meses. Depois parei de me perguntar e passei apenas a aceitar os rumos que a vida toma. Entretanto, pouco tempo depois, meu subconsciente me fez recordar tudo por meio de sonhos. Sonhos diários, intrigantes.

A pergunta óbvia foi: por que isso agora? Aprendi que isto é um mecanismo de enfrentamento, Confrontamos ao máximo aquilo para ver se realmente absorvemos tudo. Em minha experiência, essa passagem me fez tomar um caminho errado, como geralmente acontece com todos.

Nós passamos a buscar motivos que justifiquem a ação de terceiros. Absorvemos uma culpa que não é nossa. Carregamos duas cruzes. Busca errada. Se você já analisou tudo, reconheceu a sua parte dos erros, cabe somente ao outro lado fazer a parte dele. Você não deve assumir um fardo que não é seu.

Não se responsabilize por atos de uma outra pessoa. Cada um tem que responder pelo que faz. Toda ação tem uma reação e toda causa tem uma consequência. Deixe o outro assumir o que fez ao invés de aceitar a projeção de culpa. Tem que ser 'eu fiz porque quis' e não 'eu fiz porque você fez isso'.

Carregue o que lhe é dever. Você não é uma formiga para levar nas costas dez vez a mais o peso da sua culpa. Não busque sentido no que você não compreende nesta situação. Se existir algum, eu garanto, a resposta não está em você, mas no outro.

"So I
 I won't be the one
 Be the one to leave this in pieces
 And you
 You will be alone
 Alone with all your secrets and regrets
 Don't lie"
(Linkin Park - In Pieces)



quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Amadurecer

Amadurecer: simples ou complicado? Depende, principalmente, do indivíduo. Amadurecimento e o que julgamos como é algo pessoal. Pode ser ter um emprego, vida própria, independência, personalidade, saber lidar com situações. Para cada um amadurecer tem um significado diferente.

Para conquistá-lo há dois caminhos. Aquele de sofrimento e pena, onde você passa por coisas desagradáveis até conseguir superar tudo e aprender com os erros. Ou você pode simplesmente deixar a vida caminhar por ela mesmo e aproveitar ao máximo tudo. Curtir o viver e deixar o amadurecimento chegar aos poucos, no tempo certo.

Para os que acham que só aprendem pela dor, tentem deixar a vida seguir seu curso. Parem de lutar contra coisas que já estão colocadas ali para você enfrentar. Desfrute da viagem. Pare de ficar prolongando uma dor desnecessária.

Aos que, como eu, tem buscado levar a vida numa boa, sigam essa estrada. Viver é a melhor opção. Ser crescido não é nem a metade da diversão que é aprender a crescer. Aproveite tudo. Saia, curta, encontre amigos, faça novas amizades, seja sociável, divirta-se. De vez em quando você vai errar, mas no fim vai dar tudo certo.

"Being grown up isn't half as fun as growing up
 These are the best days of our lives
 The only thing that matters is just following your heart
 And eventually you'll finaly get it right"
(The Ataris - In This Diary)



terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Tropa 2 pela 3ª vez

Hoje fui assistir, pela terceira vez, 'Tropa de elite 2: O inimigo agora é outro'. Sempre indo com um grupo diferente de amigos e familiares. Após terminar de ver o filme, fiquei pensando por que a película me chama tanto a atenção a ponto de eu ir ao cinema tantas vezes por ela.

Seriam as atuações? Os famosos bordões que ficaram tão famosos? A história semelhante ao que acontece na vida real? Sim, isso tudo também tem culpa por eu gostar do filme, mas não são o fato principal de me atrair para a sala de cinema.

Fui pesquisar sobre os nomes por trás do longa-metragem. Todo mundo fala só de José Padilha e Wagner Moura e não citam outros grandes nomes por trás do projeto. Ao bater os olhos nos nomes e nos trabalhos anteriores dos mesmos, entendi tudo.

Três profissionais, com grandes trabalhos, fazem toda a diferença. O primeiro deles é responsável pela edição e montagem: Daniel Rezende. Ele foi editor de filmes como 'Tropa de elite' e 'Diários de motocicleta'. Mas, além de tudo, trabalhou em dois trabalhos de montagem excelente: A série da HBO, 'Filhos do carnaval' e o indicado ao Oscar, 'Cidade de Deus'.

O segundo é o diretor de fotografia, Lula Carvalho. Eu sou vidrado pela fotografia dos filmes com imagens muito bem feitas, impactantes e belas. Carvalho esteve presente nesta função no primeiro filme e em 'Budapeste'. Além disso, carrega experiência de ter participado, como primeiro assistente de câmera, em 'Cidade de Deus'.

Por fim, o último profissional, o roteirista Bráulio Mantovani. Não bastar ter uma história se não souber como colocá-la no papel. Bráulio foi roteirista no primeiro filme também, além de estar em 'Cidade de Deus' e 'Linha de passe'.

Na minha opinião, 'Cidade de Deus' sempre foi o melhor filme brasileiro, disparado. Com estes profissionais tendo trabalhado neste longa-metragem, faz o maior sentido que eu seja muito fã de 'Tropa de elite 2'. Não é só pelo filme, não é só pelos atores. A produção faz toda a diferença. Com uma parte técnica como essa, fica fácil se tornar um grande filme.

"Tropa de elite
 Osso duro de roer
 Pega um, pega geral
 E também vai pegar você"
(Tihuana - Tropa De Elite)

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Nova chance

Após longos desabafos sobre a organização do Planeta Universitário, que geraram até críticas de um(a) leitor(a), o universo conspirou para me dar uma nova oportunidade de assistir ao show do Jorge & Mateus. No dia 8 janeiro de 2011, uma nova chance.

Dessa vez tenho certeza que assistirei. Não haverá chuva que irá me fazer desistir de ver a apresentação da dupla. Principalmente porque, agora, não precisarei pegar metrô para voltar para casa. Com o show sendo em Guarujá, fico lá até o último minuto!

Ainda falta comprar o ingresso mas isto é apenas um detalhe. 'Verão Show Guarujá 2011' é a próxima parada! Além dos sertanejos, terá também Ivete Sangalo. Não sou lá muito fã dela, mas está valendo. O que importa é o show do Jorge & Mateus e a zoeira com a galera. Uma nova chance, começando 2011 já realizando o que não consegui em 2010.

"Eu viajei no seu olhar, no teu sorriso
 Nos teus segredos
 Eu descobri o que era amar
 Pelo toque dos seus beijos"
(Jorge & Mateus - Seu Astral)

domingo, 12 de dezembro de 2010

It's my life

Noite de sábado. Para alguns apenas mais um dia que se passa. Para outros, a hora da diversão. Eu estou incluso na diversão. Ri demais, curti um som muito bom, promovido pela Verissimo, bebi com amigos, aproveitei ao máximo.

Ainda vi várias pérolas ao longo da noite, muitas músicas tocadas que fizeram o Studio Rock, em Santos, cantar junto, em coro. Desde Outfield até Bon Jovi, todos em uma só voz.  Muito bom.

Esse post vai ser rápido pois tenho que acordar daqui há duas horas para um jogo de futebol. Boa sorte para mim e que eu consiga jogar minimamente bem. Pelo menos, para não comprometer o resultado ao longo dos jogos.

Por fim, é bom demais estar vivendo este momento. Cantar músicas com toda vontade, expressar-se da forma que quiser, viver. Isso não há ninguém que consiga me tirar!

"It's my life
 It's now or never
 I ain't gonna live forever
 I just want to live while I'm alive"
(Bon Jovi - It's My Life)

sábado, 11 de dezembro de 2010

Verissimo

Hoje, o post do 'Devaneios da madruga' será, pela primeira vez, um merchandising. Prometo que serão raras as vezes que venho escrever para fazer propaganda de algo. Desta vez, é por uma boa causa. Venho dar apoio ao projeto dos meus amigos, os irmãos Verissimo.

Após terem criados tantas bandas, Marcos Verissimo (voz) e Matheus Verissimo (voz/guitarra), decidiram montar algo solo, convidando músicos para tocar nos shows. Neste sábado (11/12) terá uma apresentação no Studio Rock Café, em Santos.


Convido a todos leitores do blog que moram pela região para ir assistir. Vale a pena. O som é o country rock, influência de músicos como Keith Urban. O primeiro single (Pense bem) já está disponível para ser ouvido na página deles, no site Purevolume.
  
O Studio Rock fica na Avenida Marechal Deodoro, 110, no Gonzaga. A entrada tem parte revertida em consumação e, além da Verissimo, o som ambiente antes e após o show é muito bom. Indico para aqueles que são fãs de rock.


"Não vale nada mudar
 Se você não vai estar
 Não vou parar de pensar
 Em como trazer você pra mim"
(Verissimo - Pense Bem)

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Boas lições

Quase todo mundo conhece o ditado: 'Você pode aprender as coisas por dois caminhos, pelo amor ou pela dor'. Sim, não deixa de ser verdade. Mas, há quem pense que só se tira lições de vida quando existe o sofrimento. Pessoas que não acreditam que se possa tirar coisas boas de lembranças agradáveis.

Pior que isso, existem aqueles que não fazem o menor esforço para valorizar o que aconteceu de bom. Fazem questão de só serem marcados por episódios de tristeza, mágoa e raiva. Acreditam que, só desta forma, serão fortes para seguir com a vida.

Podem seguir fortes, podem, fortes e amargurados. Quem pensa desta forma pode levar uma vida cheia de rancor, nutrindo maus sentimentos em relação à pessoas que, de alguma forma, possa te-las magoado em algum momento. Para eles, não importam os bons tempos que se viveu com tal indivíduo. Vale apenas aquilo que fica de ruim.
 
Minha pergunta é: 'Para que esquecer o bom?'. É tão reconfortante lembrar das pessoas com carinho, ter algo positivo para recordar. Isso, além de tudo, faz bem para alma. Para que carregar um fardo sem razão? Se satifaz curtir a dor para se fortalecer, tudo bem, mas viver apenas alimentando isso é perder tempo.

Além de tudo, isso acaba indicando uma falta de maturidade em lidar com as coisas. Ficar de birra, ficar apontando o dedo na cara do outro só para apontar erros do passado, é uma coisa de criança. Adultos sentam e conversam. Expõem-se os pensamentos e se chega a um consenso. Não se fica na violência gratuita.

Meu conselho é que você sempre busque guardar consigo as boas lembranças, os bons momentos. Não esqueça de tudo que passou, não. Mas não alimente sentimentos que só fazem mal ao coração. Há tanta vida pela frente, mas, às vezes, perdemos a chance de mostrar arrependimento e buscar a conciliação. A vida é longa, sim. Também é cheia de surpresas. O amanhã, de vez em quando, já é tarde. Tarde demais.

Leve as boas lições e memórias e guarde num canto escondido tudo que possa atrair pensamentos ruins. Tudo aquilo que só lhe serve para lhe trazer mágoa. É muito melhor sorrir do que chorar. Isto é um fato mais do que comprovado.


"So take the photographs
 and still frames in your mind
 Hang it on a shelf
 of good health and good time"
(Green Day - Good Riddance [Time Of Your Life])

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Besouro

Hoje, irei falar um pouco mais de cultura brasileira. Após pensar um pouco sobre o tema, resolvi fazer uma indicação de filme sobre um personagem lendário da história afrobrasileira: Este post será dedicado ao Besouro Mangangá ou Besouro Cordão de Ouro.

Em 2009, foi produzido um filme, intitulado 'Besouro', que narra a história desse personagem que nasceu em 1895 e faleceu em 1924. Capoeirista, viveu no Recôncavo Baiano, num local onde todo tipo de manifestação cultural africana era proibido ou reprimido.

O filme inicia com duas mensagens fortes passadas por Alípio, mestre de Besouro. No primeiro momento, quando o garoto começa a reclamar por ser pequeno, pobre e negro, Alípio diz a frase: 'Menino, um dia você vai ser homem. Pobre, quem sabe? Amanhã você pode ser rico. Agora, preto, meu filho, é pra vida inteira. Preto com muito orgulho de sua cor e não deixar ninguém fazer pouco de você.' Um momento de valorização das origens africanas.

Na segunda passagem, mestre Alípio ensina, por meio de um besouro (o inseto), que é possível nos superarmos: 'Ninguém dá conta que esse cascudo voa. É pesado e tem as asas finas. Até a ciência jura que esse besouro não voa. Mas...' e então Alípio assopra e o inseto sai voando. A partir daí começa a película.

Besouro (o capoeirista) ganhou este nome por escolha própria. Na infância, se chamava Manoel. Escolheu o inseto para lhe simbolizar porque era preto, que nem ele, mas que podia voar. Besouro era protegido pelos orixás e tinha o corpo fechado.

A história é muito interessante e o filme muito bem feito. A fotografia e montagem são de se admirar. É necessário olhar o filme sem o preconceito por ser algo brasileiro. Porque vibrar quando se assiste dois chineses voando em galhos de bambu ou com um homem metade humano, metade aranha, batendo nos inimigos, e fazer chacota quando isso acontece em um filme brasileiro?

No elenco, atores não muito conhecidos do grande público. Destaque para Irandhir Santos (Dep. Fraga em 'Tropa de elite 2') e Aílton Carmo como Besouro. Além de Ânderson Santos de Jesus, Jéssica Barbosa e Flávio Rocha, que interpretam papéis principais na trama.


Conteúdo da película é riquíssimo e valoriza um pouco da cultura brasileira. Afinal, Besouro é uma espécie de 'herói brasileiro'. Com origens daqui, que luta capoeira e fala a nossa língua. Vale a pena perder uma hora e meia da sua vida para assistir.

"Agora sim, o Saci
 Agora são dois irmãos
 Agora posso correr
 Agora preste atenção"
(Otto - Agora sim - música que faz parte da trilha sonora do longa-metragem)

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Dois anos de Rock Brazuca

Da esquerda p/ direita: Paulo, Vinícius, Diana e Bruno
Este post tem um significado especial para mim. Afinal, faz dois anos (não digo o dia exato) que o trabalho o qual me deu mais prazer em produzir durante a faculdade, foi aprovado com nota máxima. No final de 2008, estava aprovado o TCC de rádio 'Rock Brazuca: uma viagem no tempo aos anos 80'. Neste texto, abrirei uma exceção e citarei nomes, algo mais do que merecido.

Me uni ao grupo de trabalho formado por Paulo di Gregório, Diana Gonzalez, Vinícius Milani e Gabriel Tedesco apenas ao final de julho de 2008. Mesmo assim, tive a sorte de pegar o trabalho ainda no início, saindo do teórico para o prático.

Sorte tive muita também em poder contar com excelentes companheiros para se trabalhar, algo que facilitou muito para que o programa caminhasse de forma calma, ordenada, simples e, com toda humildade, muito bem feito.

Sobre o trabalho, foi um rádiodocumentário que buscava, em quatro episódios de trinta mintos cada, contar a história do rock nacional durante a década de 80. Produzimos o programa piloto para avaliação. Apesar do nervosismo da apresentação, do fechamento do trabalho escrito e prático em cima do prazo, tudo correu maravilhosamente e a nota surpreendeu a todos.

Quer dizer, quase todos. O Paulo já havia dito várias vezes: 'Tem gente gastando muito dinheiro aí em mega trabalhos. Nós vamos fazer algo simples. Não vou gastar cem reais nisso e ainda vou sair com dez'. Foi quase um profeta.

Mas todos fizeram um grande trabalho, desde o Vinícius com as entrevistas com radialistas da região, Paulo com músicos e pessoas ligadas ao assunto também da região, Diana e Gabriel que chegaram ir até São Paulo para entrevistar o Marcelo Nova. Enfim, todos ajudaram a construir o produto final.

Agradecimentos também ao técnico de som da Universidade Santa Cecília André Andrade que deu inúmeros toques e auxiliou bastante na edição. Além dele, à professora e orientadora Wanda Schumann sempre que precisamos.

Por fim, após dois anos engavetado, o programa começou a dar novos passos e a série será terminada. Serão meses de entrevistas, planejamento, edição e muitas discussões para chegarmos ao melhor programa possível. Espero que até fevereiro de 2011 já possa dar mais notícias sobre o segundo episódio da série.

"Começa agora: 'Rock Brazuca, uma viagem no tempo aos anos 80'"
(Vinheta de início da série)

Rock Brazuca - Episódio 1 - 1ª Parte


Rock Brazuca - Episódio 1 - 2ª Parte


Rock Brazuca - Episódio 1 - 3ª Parte


Rock Brazuca - Episódio 1 - 4ª Parte

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Últimas considerações

Último post pra falar sobre Planeta Universitário 2010. Depois deste, seguimos a vida falando vai saber Deus sobre o que! Tenho que dizer que esta segunda me tirou um peso na consciência e acalmou minha alma, inquieta desde ontem.

Descobri que, não só eu, mas muitas outras pessoas estão indignadas com a falta de organização da festa, atraso dos shows, falta de espaços cobertos. Assim como eu, essas mesmas pessoas também acharam que, apesar dos pesares, a festa valeu e muito.

Outro consolo foi que alguns milhares também foram pra ver o show do Jorge & Mateus e saíram de lá desapontados por não terem assistidos. Quem ficou até o final foi mesmo guerreiro para suportar o dilúvio da arca de Noé ou chegou bem tarde para poder aguentar esperar até 23h e pouco para ver a dupla.

Também me tranquiliza o fato de que se eu tivesse ficado, não teria assistido da mesma forma. Já que teria que pegar o metrô de volta e teria que sair do Anhembi logo no início do show. Algo que me causaria mais raiva ainda.

Pelo menos, deu pra curtir muito. Mas, infelizmente, grande parte da galera que ficou gritando: 'Pelo amor de Deus, Jorge & Mateus!', teve que se contentar com Jeito Moleque e outros.

"Chove quando você some
 Chove amor quando se esconde
 Chove só de te querer
 Chove, chove em mim você"
(Jorge & Mateus - Chove, Chove)

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Chuva

Planeta Universitário 2010 muito bom! Festa lotada, muita zuera e, como sempre, muitos doentes fazendo maluquices. Tudo muito bom até chegar a chuva. Ela foi o ponto X para que a festa ganhasse e depois perdesse a graça.

Chegou de mansinho, com algumas gotas, molhou um pouco. Refrescou todo mundo. Festa pra todos os lados! Muita animação! Mas ela permaneceu por mais um tempo. E mais um tempo. Depois apertou. Virou um dilúvio em pleno Anhembi.

Água o suficiente para fazer todo mundo sentir frio e começar a bater os dentes. Então, ela parou. Após 2 horas de chuva, começaram os shows. Mas, logo no início da primeira banda, ela voltou. Desta vez, não foi de mansinho. Veio com tudo e pra ficar.

Ainda suportei mais um tempo entre a chuva e um espaço coberto reduzido, onde centenas de pessoas se aglomeravam. Mas, não deu. Desisti, assim como grande parte das pessoas. Sai do sambódromo às 19h, muito antes do show do Jorge & Mateus que queria assistir.

Mas, tá valendo. Fim de semana irado, apesar dos pesares. Risos, diversão e chuva garantidos. Vamos ver o que me aguarda semana que vem.

"A chuva nunca para de cantar
 A chuva nunca para de descer"
(Cordel Do Fogo Encantado - Preta)

domingo, 5 de dezembro de 2010

Chegou!

Após uma longa espera, por mais de um mês, finalmente, chegamos ao dia 5 de dezembro de 2010. Após horas entre ônibus, metrô e ladeiras da terra da garoa, estou em um porto seguro. Daqui, é direto para o Anhembi, onde haverão horas e horas de shows.

Chegou o momento. Planeta Universitário 2010 aí vou eu. Dentro de 12 horas, estarei, junto com outras 12 mil pessoas, aproximadamente, curtindo shows que vão do techno ao sertanejo. Muita festa e alegria. Experiências novas para contar para os hipotéticos netos.

Bom, é isso. O dia foi movimentado. Futebol, churrasco, viagem, alcoól, cansaço. Agora é só esperar pelo momento. Logo trarei as impressões deste domingo. Pra finalizar, uma das novas músicas do Jorge & Mateus, que estarão no evento.

"Eu te amo,
 Eu te adoro,
 Eu faço tudo por você
 Meu coração é seu
 Esquece o medo e vem
 Não tem perigo de me perder meu bem"
(Jorge & Mateus - Esquece O Medo)

sábado, 4 de dezembro de 2010

Viva o novo

Minha mensagem de hoje é rápida. Terei que acordar cedo devido a uma partida de futebol, então não poderei me alongar no assunto e nos devaneios, como costumeiramente faço. Então, tenho que dizer o simples: 'viva o novo'.

Pare de ficar ligado ao passado. O que aconteceu, tinha que acontecer, estava escrito, agora continue escrevendo novas páginas. Se apegar ao que já foi só faz você estagnar na vida. Uma prisão feita de memórias que lhe trarão nostalgia por uns momentos e dor em outros.

Então, apenas tire as lições que precisa. Aprenda com o que aconteceu. Respire. Siga em frente. Não há porque remexer no que já foi passado. Não há como você alterar isso e nem deve. Tudo tem um motivo nessa vida. Acredite nisso.

"While some have gone their separate ways
 Theres some still caught up with the past instead
 But move on, you're missing most of your life
 They say its hard to stay the same
 When some fail, while other men seem to gain, my friend
 I'll be with you here until the end"
(Avenged Sevenfold - Until The End)

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Síndrome do cavaleiro das trevas

São 4h40 da manhã. O horário perfeito para eu tentar explicar mais uma de minhas teorias que surgem durante as primeiras horas do dia. Falar sobre a teoria da 'síndrome do cavaleiro das trevas' é fácil. Acho que conseguirei passar a lógica da coisa.

Quem teve infância, conheceu as histórias de superheróis ou simplesmente viu o filme, sabe quem é o cavaleiro das trevas. Para quem não sabe, é o Batman. No final do filme, bem na última cena, o comissário Gordon começa a explicar para o filho o porquê do herói estar fugindo da polícia.

Uma frase que ele diz é: 'Porque ele ê o herói que Gotham merece, mas não o que ela precisa agora.' Isso me fez pensar. Não precisa estar no mundo dos quadrinhos para viver uma situação assim. No nosso cotidiano, facilmente nos deparamos com este dilema, esta síndrome.

Quando um cara ama uma garota, mas abre mão desse sentimento porque sabe que, desta forma, ela será mais feliz, ele o faz porque é aquilo que ela precisa, mesmo que não seja o que ele quer. Quando um chefe recebe uma ordem superior de demitir empregados, ele assume um papel que não quer, mas que precisa. Alguém precisa fazer o trabalho sujo.

O problema é que situações assim são por demais estressantes. Além disso, podem facilmente levar o 'Batman' à depressão. Isto acontece porque o outro lado nunca vai entender a nossa posição. Sempre fará um julgamento impreciso, longe da realidade do cavaleiro das trevas. O outro sempre se perguntará: 'por que ele fez isso?'. Entretanto, sempre sentirá que uma peça está faltando ali para fazer sentido.

Nessa situação, à quem for o cavaleiro, recomendo que seja forte de espírito para aguentar as críticas. Se o for fazer, que esteja muito bem com a sua auto-estima e não deixe as palavras fortes que virão, quase sempre daquele alguém por quem você nutre algum bom sentimento, te derrubar.

Aos que não entendem totalmente, que sejam pacientes e compreensivos. Sempre pode haver algum motivo nobre por trás de alguma atitude não muito explicável. Confiança é a base de tudo. Antes de julgar, pense nisso.

"Trust me
 Trust me through
 Catch me slowly
 Is your faith in me
 Faith in you
 All the things you are is what I am
 Do you feel?'
(Dee Joy - Trust Me)

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Contando os dias...

Tá chegando a hora! Planeta Universitário 2010! Anhembi, aí vamos nós! Shows de Jorge & Mateus, Fernando & Sorocaba, Jeito Moleque, Cheiro de Amor, Babado Novo, House University, DJ Tom Hopkins feat. Samara e Henrique & Diego.

Estou mais é no aguardo do Jorge & Mateus, infelizmente, o último show da noite. Mas, pelo que parece, a festa vai valer a pena! Valer tanto de ficar até o final para ouvir a última música da dupla. Demorou semanas, mas agora está perto.

Domigo é dia de festejar. Chegar cedo no Anhembi e curtir muito. Se no sábado não poderei falar: 'é, mais uma noite estranha', no domingo, será um dia cheio de surpresas e muita festa! Mas, vamos conter os ânimos, ainda é quinta-feira. Infelizmente. Contando os dias...

"Ah, eu quero ver você chorar
 Minha felicidade é outro alguém no seu lugar
 Pago pra ver, você olhar
 Ver que eu já to em outra e eu não quero mais te amar"
(Jorge & Mateus - Alguém No Seu Lugar)

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Dublar

Decidi fazer um post para falar sobre dubladores. Sou fã desta profissão e dos profissionais de dublagem. Nem tanto a dublagem de filmes mas, particularmente, as de desenhos. Acho um trabalho sensacional e, com certeza, prazeroso pra quem o faz.

Talvez seria uma carreira que eu seguiria. Gosto muito de fazer imitações, criar vozes. Entretanto, não sei se teria a capacidade de fazer um trabalho tão complexo quanto estruturar, além da voz, o espírito de uma personagem.

Se eu entrar no youtube para procurar vídeos de dubladores, é certeza que irei passar muitos minutos assistindo diversos trabalhos. Principalmente, se for alguma entrevista, vídeo, programa que envolva o Guilherme Briggs.

Na minha visão, um dos melhores na área. Para quem não sabe, Briggs é a voz por trás de diversos desenhos como: Freakazoid, Babão (Eu Sou O Máximo), Cosmo (Padrinhos Mágicos), Saga de Gêmeos (Cavaleiros do Zodíaco), Daggett (Dois Castores Pirados), Buzz Lightyear (Toy Story), Kronk (A Nova Onda do Imperador), Rei Julien (Madagascar), entre outros tantos.

Também faz trabalhos em filmes e seriados como o Ross (Friends), além de ser a voz dos atores Denzel Washington, Bredan Frasier e Jim Carrey. Infelizmente, é uma profissão ainda não muito valorizada no país. Apenas uma, entre tantas outras que as pessoas não dão a mínima por aqui.

Bom, deixo esse post sem letra de música, mas com trechos de uma entrevista do Guilherme Briggs em que ele faz imitações. São diversas partes, então, para quem se interessar, procure os outros blocos no youtube.



terça-feira, 30 de novembro de 2010

(Des)acostumado

Quando você passa tanto tempo de uma forma, decide mudar, e sente que você está voltando a antiga forma, é estranho. Afinal, após ter estado anos e anos num estado, não deveria ser incomum se sentir assim. É como se você estivesse desacostumado com aquilo.

Essas situações deixam a qualquer um confuso. É como se você voltasse para sua cidade natal, mas sentisse que, após um ano fora, nada é mais o mesmo. Nesse momento, entra como se fosse um período de readaptação a tudo.

Mas, realmente, nada mais é o mesmo. Uma experiência adquirida neste tempo longe faz com que saibamos agir de forma diferente em relação a novas situações que aparecerão nesse lugar que, um dia, foi comum para nós. Um dia, escondido no passado.

O difícil é não deixar que os 'fantasmas' desses tempos distantes apareçam e te atrapalhem nesse retorno. Lembre-se, você tem muito mais armas para enfrentá-los agora. Não deixe isso acontecer. Não se enfraqueça. Alguns são difíceis de serem vencidos, mas com persistência, se consegue.

A verdade, entretanto, é que não quero voltar a esse estado. Até porque não sinto nada de nada relacionado a isso. Não há o mínimo de ligação para que eu tenha que voltar, como parece estar acontecendo. Como diz a letra de That Green Gentleman, do Panic! At The Disco: 'Things have changed for me and that’s ok / I feel the same / I’m on my way and I say / Things have changed for me and that’s ok.'

"Love, gimme love, gimme love!
 I don't need it
 But I'll take what I want from your heart
 And I keep it in a bag
 In a box
 Put an X on the floor
 Gimme more, gimme more, gimme more!
 Shut up and sing it with me!"
(My Chemical Romance - Na Na Na)

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Vai entender...

Por um longo tempo eu imaginei ser uma pessoa sem coração. Sem me prender a ninguém e sem ter vontade disso. Tirando alguns momentos de carência, como qualquer ser humano tem, pensava estar livre desse órgão. Para mim, ele apenas estava bombeando sangue para o resto do corpo, e já tá muito bom.

Num passado não muito distante já fui, sim, um ser de coração apaixonado, por diversas coisas. Mas, entre tantas mudanças que ocorreram nos últimos meses, havia deixado de ser assim. De repente, percebo que estou tendo uma recaída nesse quesito.

Acho melhor parar com esse excesso de músicas sertanejas. Afinal, creio que isto esteja acontecendo por causa delas. Ontem, estava ouvindo uma delas até que parei para me perguntar: 'Ora bolas, porque essa música está mexendo comigo se nem interesse por alguém estou tendo?'.

Comecei a me questionar e...não faço ideia do porquê, apenas sei que mexe. Complexo demais, até para minha cabeça confusa por natureza. É, vai entender...

"Meu coração apaixonado
 Atormentado em dores
 Procura entre os outros
 Um inventor dos amores"
(Gusttavo Lima e Jorge & Mateus - Inventor Dos Amores)

O post de hoje vai com as músicas que, não sei porque, tem feito o coração pulsar de forma diferente.

Gusttavo Lima e Jorge & Mateus - Inventor Dos Amores


Jorge & Mateus - Vestígios


Jorge & Mateus - Pra Ter O Seu Amor

domingo, 28 de novembro de 2010

Psicodélico

De volta de mais uma noite cheia de novas memórias! Hoje foi algo divertido demais, excelentes companhias, ótimas risadas, álcool, shots, zoação...enfim, tudo que há de bom numa balada. Dessa vez, sem nenhum problema, o que é melhor ainda.

Bom, vamos aos fatos. O local tinha quadrados iluminados no teto, que piscavam em diversas cores. Após algumas doses de álcool, somadas a adrenalina do momento, olhar para o teto por alguns instantes passou a ser uma viagem completa. Era como ter ingerido alguma droga sem ter posto nada na boca. Um ar psicodélico durante a noite. Uma mistura de música, luzes e cores sensacional.

Há de se ressaltar alguns pontos curioso como o fato de, às 3h30 da manhã, surgir uma garota, no meio da balada, de shorts e sutiã (top ou bíquini, dependendo do ponto de vista de cada um). Todos olhavam com aquela cara de: 'afinal, que porra é essa?'. Além de pessoas que praticamente invadiam o espaço onde nós formamos nosso grupo, para dançar de forma estranha.

Tenho que lembrar também que uma garota foi alvo de gozação por parte do lado feminino do grupo porque estava com uma sandália rasteira não lá muito bonita. No fim das contas, ela foi a grande sortuda porque, enquanto as garotas de salto alto (não irei citar nomes kkk) reclamavam do calçado, com certeza ela estava muito confortável.

Por fim, ao término da balada, a boa e costumeira ida ao Mc'Donalds para comer algo e ficar conversando sobre diversos assuntos. A noite foi muito boa, mas, posso voltar a dizer: 'é, mais uma noite estranha'.

Deixo um trecho da música que fechou a noite para mim dentro da balada.
"Comme te po' capì chi te vò bene
 Si tu le parle 'mmiezzo americano?
 Quando se fa l'ammore sotto 'a luna
 Come te vene 'capa e di: "I love you!?
 Pa pa l' americano"
(Yolanda Be Cool - We No Speak Americano)

sábado, 27 de novembro de 2010

Memórias

Fim de semana à vista!!! Hora de mais memórias loucas por vir. Afinal, será mais um aniversário de um membro da mlkada comemorado na balada, como foi a grande maioria dos aniversários até o momento. Chegou o dia da 'madrugada estranha'.

Hoje é dia de Seven Disco! Tempo de beber, estar com os amigos, beber mais um pouco, rir muito de tudo e aproveitar a noite. Fins de semana assim serão sempre especiais. São os que eu mais curto, sem comparação ao resto do ano.

Bom, por hoje é só. Vou dormir que amanhã de manhã tem jogo vindo pela frente. A noite é hora da balada. Haja coração, amigo! Haja energia pra tudo isso também!


"All the crazy shit I did tonight
 Those will be the best memories
 I just wanna let it go for the night
 That would be the best therapy for me"
(David Guetta Feat. Kid Cudi - Memories)

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Aproveite mais

Quantas vezes pensamos que nada dá certo para nós? Quantas vezes achamos que todo mundo consegue, menos a gente? Além disso, quantas vezes falamos que a coisa é mais fácil pra fulano ou ciclano por causa disso ou daquilo?

O problema é que a cada vez que fazemos isso, nos desanimamos com o mundo a nossa volta. Deixamos de acreditar em nós mesmos, de buscar nossos objetivos, de conquistar nossos sonhos. Ficamos acomodados na estagnação.

Há também quem fique atado ao passado, a conquistas que já se foram a muito tempo,a  perdas que ainda não sabemos lidar com elas, faça muito ou pouco tempo. Tudo isso faz com que a pessoa se torne frustrada e passe a projetar suas decepções e mágoas nos outros. Uma forma de não procurar enxergar os próprios erros.

Então, antes de desanimar de vez, antes de sair atacando quem nada tem haver com seu fracasso momentâneo, levante e vá atrás do que quer. Aproveite mais a vida, enquanto ainda há tempo para isso.

"Esse é o nosso tempo
 Esse é o nosso tempo aproveite mais
 Que hoje o tempo é de paz"
(Falamansa - Tempo De Paz)

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Let it be

Pra que se estressar com o mundo a sua volta? Deixe acontecer. Deixe as coisas fluirem que, ao final da jornada, tudo voltará como recompensa até você. Não se importe demais, não se julgue demais.

Deixe ser. Deixe rolar. Veja até onde vai. Para de levar algo tão a sério se, no final das contas, vamos morrer de qualquer forma. Você está aqui e é para aproveitar. Desfrute da viagem.

Esvazie a mente. Sinta o mundo a sua volta, relaxe. Quando alguma situação parecer sem saída e não há nada o que fazer, respire fundo e pense: 'let it be'.

"Let it be, let it be.
Let it be, let it be.
Whisper words of wisdom, let it be."
(The Beatles - Let It Be)

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Liberdade

Liberdade. Quantos não morreram em busca dela e por ela? Com tantos exemplos, espalhados pela história, não entra na minha cabeça como existem pessoas que negam a própria liberdade e se conformam em ser prisioneiras nesta vida.

Pior é quando reclamam que não possuem liberdade mas não fazem nada para mudar isso. Se tornam reféns de um relacionamento que vai de mal a pior, de um emprego que odeiam, de amigos que julga serem falsos. Mas, ainda assim, segue nesse cotidiano. Apenas aceita.

Essas situações são tão fáceis de serem controladas, revertidas, mas há quem prefira a inércia. Entretanto, esse tipo de reclusão não é do pior tipo. É muito mais díficil quando o que prende são conceitos. Ser refém de um preconceito, de uma ideologia, de uma filosofia.

Já diria o francês Marcel Achard: "Um homem que nunca muda de opinião, em vez de demonstrar a qualidade da sua opinião, demonstra a pouca qualidade da sua mente." Pouca qualidade que o faz se trancar do seu mundo e ser uma marionete de suas próprias ideias.

Por isso que eu creio que o melhor é sempre tentar manter a mente aberta e, desta forma, tentar respirar um pouco de liberdade, mesmo que não em sua plenitude.

"Pra matar a sede
  Eu quero aproveitar
  A liberdade"
(Rodox - Beach Punx)

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Cada degrau

Imagine a vida como uma grande escada. Uma que, de tão comprida, você não consegue enxergar o final. Fazer esta analogia é uma forma de encarar de forma mais fácil a tarefa, por vezes complicada, de passar por esse longo caminho chamado viver.

Agora, pense que cada etapa, cada desafio, cada obstáculo, é um degrau. Podem ser degraus compridos, curtos, altos, baixos. Não importa. Para chegar ao final de tudo, você tem que ultrapassar cada um deles, até alcançar o último.

Como você vai subir essa escada? Correndo ou passo a passo? Eu aconselho a segunda opção. Correr significa um risco maior de você levar tombos, escorregar e até rolar alguns destes degraus à baixo. Além do que, um passo de cada vez traz segurança e uma maturidade maior.

Subir cada degrau, um por vez, conhecendo a importância de ter vencido cada desafio na sua vida. Isso é o mais importante. Adquirir conhecimentos por meio de todas as situações que você enfrenta, obstáculos que vence. Quando a escada chegar ao fim, com certeza, você terá alcançado o melhor da sua vida.

"Cada degrau que eu subo é uma festa
 De festa em festa, vou subindo com prazer"
(Edu Krieger - A Escada)

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Chegando a hora do balanço

Com a proximidade do mês de dezembro, é hora de começar a 'fechar as contas' de 2010. Hora de fazer um balanço sobre tudo que aconteceu durante o ano, prós e contras, ganhos e perdas, e avaliar se o ano foi positivo ou negativo.

Apesar de tudo que ainda não consegui realizar, como a conquista de um emprego definitivo ao invés de ficar de freelancer em freenlancer, de ainda não ter sossegado o coração, foi um bom ano. Meses de grande experiência para um crescimento interior. Eu estava precisando disso.

Um ano em que eu me perdi algumas vezes, me permeti errar, fazer escolhas, cultivar novas amizades, resgatar antigas, de voltar a ser um pouco eu mesmo. Recuperei grande parte da alegria que havia perdido, me forcei mais a sair de casa, a ver o mundo.

Viajei, peguei estrada dirigindo, aproveitei. Tive muitas doses do que eu considero viver. Pude sair da rotina e da monotonia. Ter novas e boas lembranças do que aconteceu durante 2010. Lógico, houve momentos ruins, de tristeza, brigas, rompimentos. Não dá para sorrir todos os dias. Mas, na soma, o ano está muito positivo.

Posso dizer que este ano foi muito bom. Começou sombrio, mas clareou ao longo do tempo. Ainda não posso dizer que está perto do perfeito, mas tenho ainda um mês pela frente. Espero que até o fim de 2010 eu já mude esse pensamento. Já possa falar: 'sim, esse foi o melhor ano'.

"I wake up at the end of a long, dark, lonely year
It's bringing out the worst in me"
(Plus 44 - Lycanthrope)

domingo, 21 de novembro de 2010

Te lembra disso?

Ah, que falta faz o humor feito com inteligência. Hoje, o que vemos está longe de ser algo engraçado. É um humor apelativo, daquele que quer mostrar só bundas e piadinhas de baixo calão para satisfazer os brasileiros. Está faltando inteligência.

Por ser fã deste humor inteligente e mais requintado, sinto falta de 'Os Normais', 'Sai De Baixo' e, principalmente, 'Escolinha Do Professor Raimundo'. Neste momento, lembro de diversos personagens. Alguns que me fizeram, e ainda fazem graças ao canal Viva, dar boas risadas.

Que falta sinto do Rolando Lero e o seu 'amado mestre', ou do Ptolomeu e seu 'divirjo mestre!'. Assim como tantos outros bordões. Cito alguns como Dona Bela: 'Ele só pensa naquilo'; Dona Cacilda: 'Beijinho, beijinho, pau pau'; e Seo Boneco: 'A que horas sai a merenda?'.

Entre tantos, o que mais sou fã é de Lúcio Mauro, pai de Lúcio Mauro Filho. No papel de Aldemar Vigário, sempre elaborou histórias para colocar o professor Raimundo Nonato em alguma saia justa. Era uma troca de provocações engraçada. Aldemar Vigário sempre perguntava para o professor Raimundo: 'Te lembra disso?'

Isso é que era humor de verdade. Hoje, vejo apenas baixaria e fraco conteúdo. Que falta fazem os grandes comediantes do Brasil.

"Vamos à escola
  Toda hora é hora
  Vamos à escola
  Lá se aprende a viver"
(Música tema da Escolinha do Professor Raimundo)

sábado, 20 de novembro de 2010

O mundo é tão pequeno afinal...

Como tudo passa rapidamente na vida. É como se quase não pudessemos acompanhar, tal a velocidade que a vida vai. Mas, isto é viver, umas pessoas vão, outras vem para adicionar na sua experiência de ser alguém nesse mundo.

Inevitável é você cruzar com alguém que faz parte do seu passado durante esta jornada. Nesse momento, você deve manter a calma, lembrar das coisas boas e das lições e nunca, mas nunca mesmo, guardar o rancor consigo.

Ser uma pessoa assim indica mágoas e tristezas por um longo tempo. Creio que ninguém no mundo quer se enquadrar neste perfil. Pois bem, esqueça as desavenças e pregue a conciliação. Vamos tentar ser simpáticos e humildes ao invés de rudes e rancorosos.

Hora de viver um momento de alegria e paz, em meio a alguns tormentos da vida cotidiana. Não evite desafios, mas encare-os de frente, de forma adulta e saiba lidar com situações as quais você não está acostumado. O mundo é tão pequeno afinal...

"Então fica assim
 A gente se encontra outra ocasião
 Na festa junina, festa de peão
 No bar da esquina
 O mundo é tão pequeno afinal"
(Jorge & Mateus - O Mundo É Tão Pequeno)

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

O que é belo?

Quem ama o feio, bonito lhe parece. A pergunta feia no título é encarada, por mim, cada vez mais, como uma questão pessoal. Eu acredito que a beleza vem de dentro de quem olha cada pessoa, objeto, cenário. Ninguém pode ditar o que é belo ou não. Afinal, quem é você pra julgar o que é bonito?

Há quem irá pensar: 'Mas existem coisas que são impossíveis de você falar que não são bonitas.' Acredite, sempre existirá alguém que não achará nada bonito, que não chamará a atenção. Por exemplo, há quem goste de construções coloniais, até pela arquitetura e tal, mas, pelo meu pai, poderia derrubar tudo e construir algo moderno.

Isso vale para todas as coisas da vida. Até para aquela mulher de aparência estonteante. Vai existir alguém no mundo que irá preferir o interior do que exterior e achá-la feia, aos seus olhos. Nunca existirá uma unanimidade neste quesito.

Pensando melhor, é ótimo que seja assim. O que seria do vermelho se todos gostassem do azul? Já diria Nelson Rodrigues: 'Toda unanimidade é burra.' Se o conceito de belo parte da interpretação do indivíduo, do que cada um sente, seria a beleza algo abstrato? Talvez seja. Nos atraímos por algo ou alguém porque sentimos algo e não porque uma regra em algum lugar está dizendo que é bonito ou não.

"Belezas são coisas
 Acesas por dentro
 Tristezas são belezas
 Apagadas pelo sofrimento"
(Jorge Mautner e Nelson Jacobina - Lágrimas Negras)

Obs: Se alguém se interessar pela música, recomendo a versão do Otto com a Julieta Venegas.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Momento poético

Bom, hoje não estou afim de escrever sobre algo. Não irei divagar sobre algum assunto ou sobre algo que aconteceu comigo. Desta vez, vou deixar para os leitores um pouco mais de cultura. Algo que possa enriquecer mais a mente.

Então, escolhi um trecho de uma poesia de João Cabral de Melo Neto. Para quem não o conhece, Cabral de Melo Neto, nascido em Recife, Pernambuco, foi um dos principais poetas da literatura brasileira. Ganhou diversos prêmios como: Prêmio José de Anchieta, de poesia, do IV Centenário de São Paulo; Prêmio Olavo Bilac, da Academia Brasileira de Letras; Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro e Prêmio da União Brasileira de Escritores, pelo livro "Crime na Calle Relator", além de conquistas internacionais.

Também ocupou a cadeira número 37 na Academia Brasileira de Letras e tem como sua principal obra "Morte e vida severina".

O poema que escolhi foi 'Os três mal-amados'. No trecho abaixo, deixo à vocês, as palavras de Joaquim.

"O amor comeu meu nome, minha identidade, meu retrato. O amor comeu minha certidão de idade, minha genealogia, meu endereço. O amor comeu meus cartões de visita. O amor veio e comeu todos os papéis onde eu escrevera meu nome.

O amor comeu minhas roupas, meus lenços, minhas camisas. O amor comeu metros e metros de gravatas. O amor comeu a medida de meus ternos, o número de meus sapatos, o tamanho de meus chapéus. O amor comeu minha altura, meu peso, a cor de meus olhos e de meus cabelos.

O amor comeu meus remédios, minhas receitas médicas, minhas dietas. Comeu minhas aspirinas, minhas ondas-curtas, meus raios-X. Comeu meus testes mentais, meus exames de urina.

O amor comeu na estante todos os meus livros de poesia. Comeu em meus livros de prosa as citações em verso. Comeu no dicionário as palavras que poderiam se juntar em versos.

Faminto, o amor devorou os utensílios de meu uso: pente, navalha, escovas, tesouras de unhas, canivete. Faminto ainda, o amor devorou o uso de meus utensílios: meus banhos frios, a ópera cantada no banheiro, o aquecedor de água de fogo morto mas que parecia uma usina.

O amor comeu as frutas postas sobre a mesa. Bebeu a água dos copos e das quartinhas. Comeu o pão de propósito escondido. Bebeu as lágrimas dos olhos que, ninguém o sabia, estavam cheios de água.

O amor voltou para comer os papéis onde irrefletidamente eu tornara a escrever meu nome.

O amor roeu minha infância, de dedos sujos de tinta, cabelo caindo nos olhos, botinas nunca engraxadas. O amor roeu o menino esquivo, sempre nos cantos, e que riscava os livros, mordia o lápis, andava na rua chutando pedras. Roeu as conversas, junto à bomba de gasolina do largo, com os primos que tudo sabiam sobre passarinhos, sobre uma mulher, sobre marcas de automóvel.

O amor comeu meu Estado e minha cidade. Drenou a água morta dos mangues, aboliu a maré. Comeu os mangues crespos e de folhas duras, comeu o verde ácido das plantas de cana cobrindo os morros regulares, cortados pelas barreiras vermelhas, pelo trenzinho preto, pelas chaminés.  Comeu o cheiro de cana cortada e o cheiro de maresia. Comeu até essas coisas de que eu desesperava por não saber falar delas em verso.

O amor comeu até os dias ainda não anunciados nas folhinhas. Comeu os minutos de adiantamento de meu relógio, os anos que as linhas de minha mão asseguravam. Comeu o futuro grande atleta, o futuro grande poeta. Comeu as futuras viagens em volta da terra, as futuras estantes em volta da sala.


O amor comeu minha paz e minha guerra. Meu dia e minha noite. Meu inverno e meu verão. Comeu meu silêncio, minha dor de cabeça, meu medo da morte."

Por ter a poesia, não terá trecho de música ao final do post. Entretanto, deixo o vídeo pelo qual conheci tal texto. A banda Cordel Fogo Encantado recitando parte desses versos durante o DVD 'MTV Apresenta Cordel Do Fogo Encantado'.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Ufa!

Como é bom se reencontrar após um período turbulento e confuso da vida. Sabe quando você se perde, mas de tal forma, que fica difícil se encontrar? Pior é que quando isso acontece, acabam-se mudando até traços de personalidade. É como se outra pessoa tomasse o controle.

Pois bem, quando isso acontecer, trate, e logo, de retomar as rédeas de tudo. Não deixa o cavalo correr com a carroça sem direção pelo campo, algo ruim pode acontecer. Quase aconteceu, quase que a charrete tombou nesse percurso. Espero que tenha ficado mesmo no quase.

É incrível ver como eu mudei durante esse período, e não gostei disso. Virar o avesso do que você costuma ser é uma sensação terrível. Tornar-se irritável e irritante, confuso, bruto e egocêntrico. Para mim, não há nada pior que isso.

O bom é que sempre aparece alguém para te colocar os pés no chão e te alertar pra realidade. Neste caso, foi meu pai quem me chamou a atenção. Ele me disse: 'Tá muito nervosinho. Quer infartar com 23 anos?' Aí sim, eu parei com esse tornado que tinha me transformado e voltei a mim. Já que falei nele, e ele divide a posição de meu fã nº1 com a minha mãe: beijo, pai!

Peço para quem acabou, de alguma forma, se magoando, se irritando, ou qualquer coisa do tipo, comigo, que me perdoem. Confesso que não foi nada de caso pensado. Foram sucessivos erros em meio a uma fase complicada na vida.

Bom, agora creio que tudo se encaixa nos eixos e a vida, aos poucos, vai voltando a sua normalidade. Eu pensava que era bom se perder de vez em quando. Tenho que assumir que estava errado. Melhor é se reencontrar. Uma sensação de alívio enorme.

"I just got lost!
 Every river that I tried to cross
 Every door I ever tried was locked
 Ohhh and I'm just waiting 'til the shine wears off"
(Coldplay - Lost!)

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Que fase!

Se eu contasse meu atual momento ao narrador da Sportv/Globo, Milton Leite, ele olharia pra mim e diria sua famosa frase: 'Que fase!' Meu momento 'hippie' tem sido atrapalhado por dificuldades do cotidiano. Tenho atraído uma pequena marola desses problemas.

Hoje, mais uma vez, tive a certeza de que meu carro me odeia. Após ter ido pro mecânico e trocado a tal bomba de combustível, ele apresentou outro problema. O detalhe é que a bomba realmente estava com um defeito, ou seja, outra coisa está errada nele. Sempre na minha mão. Enfim, me deu dor de cabeça, vontade de chorar de raiva, e também, de socar o carro.

Já diria o Lula: 'Vocês não sabem o que é urucubaca!' Creio que estou precisando me benzer, tomar um passe mediúnico, me confessar com o padre...qualquer coisa para afastar essas ondinhas de irritações que vem de encontro a minha pessoa.

Tenho que parar com essa fase 'hippie' e fazer alguma doidera pra extravasar essa energia. Tenho sido um tanto quanto comum, e isso me incomoda. Chegou o momento de causar desordem. Mexer um pouco com tudo pra ver se essa zica se afasta de mim, e de vez.

Obs.: Minha 'sorte do orkut' me diz "Sorria. Isso basta." Será que é suficiente pra passar essa fase?

"Vou sair
 Vou esquecer meu nome
 Vou me distrair
 Vou criar desordem
 Até o amanhecer
 Até eu enlouquecer"
(Moptop - Como Se Comportar)

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Just to thank you one more time

Devaneios da...manhã?! Sim, já que cheguei somente este horário em casa. Meu devaneio de hoje será matutino. Aviso que isto não se tornará regra. Portanto, não se acostumem com posts às 07h47 da manhã.

Bom, vamos aos detalhes. Festa do branco foi muito boa. Deu pra beber bem, até. Infelizmente, não pude encontrar amigos que estariam lá, mas deu pra curtir muito mesmo assim. Beber Skol até altas horas da madruga é sempre bom.

Entretanto, não foram só flores. Confesso que houve alguns momentos de stress passageiro, eu sei. Mas, acontece. Faz parte da vida. Para coroar a noite, batata e cerveja com amigos, tudo entre muita conversa e descontração.

Mas, para justificar o título, finalizo o post com uma 'homenagem' ao grande encorajador de muitas pessoas nesse mundo.

"And you know that I'll survive
  Every time you come
  Just to thank you one more time
  For everything you've done
  Alcohol
  Alcohol"
(Gogol Bordello - Alcohol)

domingo, 14 de novembro de 2010

Senhor da razão

Vim muito disposto a soltar os cachorros pela primeira, ou segunda vez, neste blog. Mas, entretanto, uma pessoa apareceu e me deu um conselho pra vida. Justamente a mais improvável. Essa pessoa veio e disse o que eu precisava ouvir.

Realmente, Deus escreve certo por linhas tortas. Neste caso, tortas até demais. O senhor da razão apareceu na forma de quem eu menos esperava. Mas, enfim, foi algo que eu tinha que ouvir e que me acalmou os ânimos, muito exaltados até o final da noite. Se fosse por  meia hora antes, talvez estaria aqui chorando pitangas. Nada como tentar manter a sanidade e ser correto, na medida do possível.

Pois bem, alguém tinha que pagar pela minha raiva momentânea. O escolhido foi o resto do saco de bombons 'Ouro Branco'. Eles acabaram de levar um fim. E um fim leva, agora também, este rápido e curto post. Hasta mañana.

"Foi assim que o senhor da razão me falou
 Não fique triste estamos bem longe do fim
 Sem motivo pra se preocupar com coisas
 que só vão se resolver com o tempo"
(Aliados - O Senhor Da Razão)